PDSB troca leite por voto.

ATO NO MÍNIMO VERGONHOSO! PSDB TROCA LEITE POR VOTO!
POR QUE EM FRANCO DA ROCHA O MINISTÉRIO PÚBLICO NÃO TEM FORÇA DE ATUAÇÃO?
SERÁ QUE A PROMOTORIA ESQUECEU DA IMPARCIALIDADE E INDEPENDÊNCIA?
TUDO TRANSFORMADO EM “PIZZA” É A REALIDADE EM FRANCO DA ROCHA, CIDADE DA IMPUNIDADE!
 – Por SBT Online

Candidatos trocam leite por voto em Franco da Rocha (SP)

Segundo uma denúncia do dia 14 de agosto, dois candidatos, distribuíram leite para eleitores enquanto pediam votos, em Franco da Rocha, região metropolitana de São Paulo. Matéria veiculada na quarta-feira (29) pelo jornal “SBT Brasil” mostra José Antonio Pariz Junior, o Pinduca, atual vice-prefeito e que concorre pelo PSDB, e Antônio Natal de Oliveira, candidato a vereador do PTB, supostamente liberando o leite de um programa público, após usá-lo como moeda de troca. A Justiça Eleitoral da cidade investiga o caso.
SBT Brasil

Dois candidatos distribuem leite para pedir votos em Franco da Rocha.

Segundo uma denúncia do dia 14 de agosto, dois candidatos, distribuíram leite para eleitores enquanto pediam votos, em Franco da Rocha, região metropolitana de São Paulo.
José Antonio Pariz Junior, o Pinduca, atual vice-prefeito e que concorre pelo PSDB, e Antônio Natal de Oliveira,  candidato a vereador do PTB, teriam liberado o leite que vem por um programa público, após usá-lo como moeda de troca.
O caso está sendo investigado pela Justiça Eleitoral da cidade a pedido do Ministério Público, que não se baseou apenas no que testemunhas contaram, mas na gravação que uma delas fez.
Veja o comentário de Rachel Sheherazade.
31/08/2012 – 19h18

Promotoria quer cassar candidato que pediu voto durante distribuição de leite.

DE SÃO PAULO
O Ministério Público Eleitoral pediu a cassação do registro da candidatura do atual vice-prefeito e candidato do PSDB à sucessão em Franco da Rocha (Grande SP) por ter pedido votos durante a distribuição de leite de um programa do governo estadual.
Segundo a representação encaminhada pelo órgão à Justiça Eleitoral, os beneficiários foram instados a ouvir uma “palestra” de José Antonio Pariz Junior, o Pinduca, antes de receber o leite.
“Vou contar com o voto e com a ajuda de vocês”, disse, antes de encerrar o discurso, segundo o Ministério Público.
Pinduca diz que foi levado para o local sem saber que o encontro antecedia a distribuição do leite. “Eu achei que era uma reunião em uma garagem, não que era do programa”, afirmou.
“A conduta, além de ter sido extremamente constrangedora aos presentes, é vedada por lei e, além da aplicação de multa, autoriza a cassação de seus registros”, conclui o Ministério Público. O caso é apurado pela Justiça Eleitoral.
A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, responsável pelo programa, esclarece que a entidade que foi palco do discurso de Pinduca — a Associação dos Moradores do Jardim Cedro do Líbano, Vila Irma e Adjacências — será descredenciada.
“A Secretaria encaminhará o caso ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPCC) para as providências legais”, diz o texto.
Para se defender, Pinduca lembrou também de reportagem da Folha desta semana, que mostrou que o secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho (PT), prometeu que o governo federal ajudará a cidade a quintuplicar seus investimentos caso o candidato petista, Kiko, seja eleito prefeito.
“Isso sim é um ato criminoso, é uma compra de voto”, afirmou.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta