Alckimin e Márcio Cecchettini, por favor diga outra mentira pois essa não tem espaço para tanta matéria!

12/01/2011 – 11:14 (atualizada em 12/01/2011 11:17)

SP: moradores de Franco da Rocha são resgatados por bombeiros

POR CAUSA DOS ALAGAMENTOS, A CIRCULAÇÃO DE TRENS FOI INTERROMPIDA NO TRECHO ENTRE CAIEIRAS E FRANCO DA ROCHA E PLANO PAESE, DE OFERTA GRATUITA DE TRANSPORTE COM ÔNIBUS, FOI ACIONADO

Prazo de 18 meses?
Pela segunda madrugada seguida, a população do município de Franco da Rocha, distante 45 km da cidade de São Paulo, enfrenta problemas com enchentes. A região central foi totalmente inundada pela vasão da Represa Paiva Castro, que não pôde conter a cheia do Rio Juqueri. O nível da água atingiu cerca de 88 centímetros, segundo o coordenador da Defesa Civil municipal, Donizete Bernardo. Cerca de 35 famílias ficaram ilhadas.
Essas famílias estão sendo retiradas de suas casas nesta quarta-feira (12) pelas equipes do Corpo de Bombeiros com a ajuda de embarcações. Os telefones fixos não funcionam, o comércio não abriu, os prédios que abrigam as repartições públicas municipais também foram alagados e as vias continuam intransitáveis desde segunda-feira.
A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) informou que, por causa dos alagamentos, a circulação de trens foi interrompida no trecho entre Caieiras e Franco da Rocha, na Linha 7-Rubi, que liga a Estação da Luz à Estação Morato Coelho. Foi acionado o Plano Paese, de oferta gratuita de transporte com ônibus, mas na região central esses veículos também não conseguem rodar.
Apesar desse quadro, a prefeitura informou que a situação vem sendo monitorada. Um alerta sobre a vasão da represa foi emitido. O município tem cerca de 117 mil habitantes. Não houve nenhum caso de desabamento ou deslizamento de terra e também não há registro de feridos.
De acordo com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), a abertura das comportas é feita gradualmente, obedecendo ao nível de segurança máximo para evitar um rompimento da barragem cujos efeitos seriam ainda muito piores.
12/01/2011 – 22h51

Enchente paralisa serviços em Franco da Rocha (SP); veja

DE SÃO PAULO
A prefeitura de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, decretou situação de emergência, nesta quarta-feira (12), por causa das chuvas que atingem o municípo. O comércio e os prédios públicos localizados na região central da cidade ficaram completamente alagados. A enchente chegou a 2 metros de altura. Com as ruas alagadas, o transporte público também foi prejudicado.
Assista abaixo à reportagem de Marcela Rahal, da TV UOL.
Reportagem TV UOL

Qui, 29/12/11 – 09h00

GOVERNO INICIA OBRAS CONTRA ENCHENTE EM FRANCO DA ROCHA

Serão investidos quase R$ 39 milhões em um sistemas de diques em dois rios da região
(Atualizado às 15h)
O governador Geraldo Alckmin deu início nesta quinta-feira, 29, às obras contra enchentes na cidade de Franco da Rocha. O Governo do Estado está investindo R$ 38,9 milhões na construção de um sistema de polderes no Rio Juqueri e no Ribeirão Eusébio. A obra será executada pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), autarquia vinculada à Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos, e deverá estar concluída no início do segundo semestre de 2013.
“Quero destacar a importância destas obras que estão sendo iniciadas em Franco da Rocha que foi duramente atingida pelas chuvas do verão passado. São obras estruturantes, definitivas, os projetos executivos de engenharia já feitos e hoje nós estamos iniciando três grandes polderes urbanos, quatro reservatórios e quatro sistemas de bombeamento”, afirmou o governador.
Polderes são diques construídos ao longo das margens dos rios para evitar a inundação das várzeas. Os polderes são dotados de tanques de reservação e sistema de bombas que drenam as águas das chuvas que se acumularem na várzea, lançando-as no rio.

A obra tem por objetivo controlar as enchentes dos rios em questão, que atingiram de maneira bastante grave a região central central da cidade em 2009 e 2010, inundando inclusive a Prefeitura Municipal.

A obra inclui:

Ribeirão Euzébio
Margem direita 
Dique em concreto, com 1.600 metros de extensão, da foz do ribeirão Água Vermelha (altura da rua Benedito F.Marques) até Rua Professor Carvalho Pinto. Altura: varia de 0,5 metro (foz do ribeirão Água Vermelha) a 2 metros (próximo ao viaduto Donald Savazzoni).

Margem esquerda Dique em concreto, com 700 metros de extensão, da rua Charles Dickens até avenida dos Coqueiros. Altura: varia de 0,5 metro a 2 metros.

Rio Juqueri
Margem direita 
Dique em terra, com 980 metros de extensão, da linha férrea da CPTM à avenida Cestini. Altura: varia de 0,8 metro a 2 metros.

Quatro tanques de reservação com capacidade para até 9,5 mil metros cúbicos.

Outras obras

Desassoreamento do Rio Juqueri O DAEE está renovando o contrato de desassoreamento de 21 quilômetros do rio Juqueri, no trecho entre a Barragem Paiva Castro (em Caieiras) e a Rodovia dos Bandeirantes. O Governo do Estado investirá R$ 11,7 milhões no trabalho e o volume previsto é da ordem de 150 mil metros cúbicos de sedimentos.

Até dezembro deste ano, as máquinas removeram um total de 214,3 mil metros cúbicos de sedimentos do fundo do rio. O trabalho representou um investimento de R$ 14,6 milhões.

Piscinões O DAEE está ultimando os detalhes para licitar a construção de quatro piscinões em Franco da Rocha: dois no Ribeirão Euzébio, um no Ribeirão Água Vermelha e um no Córrego Tapera Grande. O conjunto terá capacidade para acumular 723,1 milhões de litros de água das chuvas, contribuindo para reduzir o risco de enchentes na zona urbana da cidade, especialmente na região central.

As obras serão feitas em parceria com o Governo Federal e representam um investimento total de R$ 51,2 milhões, divididos em: Governo do Estado – R$ 22,7 milhões; Orçamento da União – R$ 28,5 milhões.

Do DAEE

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta